terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Agoras


...Você pode amar alguém com toda a força, mas amanhã ele pode te deixar...
Trazemos tantas expectativas para os relacionamentos, tantas ilusões de um futuro efêmero sendo este feito de momentos que se esvaem por nossas mãos inábeis e crédulas na sensação tempo-espaço tão simples e confusa. Somos resultado das experiências passadas que deram errado e também das que alcançaram êxito. Estamos sempre voltados para um amanhã que talvez nunca chegue. No entanto, só estamos no agora. Agora enquanto respiro eu penso e pulso sentimentos e sensações, mas e quando o agora não mais me encontrar respirando? E quando esse agora que já não é o mesmo agora nessa linha e já não o mesmo agora em que tu lês... E quando esse agora me encontrar mais pálida do que sou? Sem ar. Sem vida. Talvez alguém chore. Talvez alguém se lembre dos “agoras” passados e possa me olhar com amor. E possa relembrar minhas manias, chatices loucuras e rir e me odiar. Sim, porque não?
Por que todos que morrem precisam necessariamente ter imagem de santo? Eu não, quero minha humanidade rasgada e exposta, quero ser lembrada como alguém que errou, que viveu de agora em agora não sendo santa, mas sendo humana.
Chata? Sim!
Egoísta? Às vezes, porque não se permitir isso? Mesmo que só às vezes,  para que se olhe para dentro e se enxergue esse eu de cada um.
E então... Eu possa me dizer do amor, (que tive)...

Bárbara Lustosa

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Igreja de pessoas imperfeitas...

"Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela."
Mateus 16.18



Muitas pessoas decidiram abandonar a igreja por causa de decepções e erros do passado. Porque gostariam de ver naquela comunidade de cristãos um grupo que expressasse perfeitamente o amor de Cristo, a santificação e o cuidado dele.

O que muitos esquecem é que a igreja é formada por pessoas imperfeitas. E que só com paciência, oração, perseverança e o nosso próprio exemplo, podemos modificar, pouco a pouco, a realidade ao nosso redor.
Jesus fez discípulos e deu o exemplo para o mundo. Ele não buscou discípulos perfeitos para formar um grupo perfeito. Muito pelo contrário. E, depois de morrer, ele ainda garantiu a esse grupo que conseguisse permanecer unido, com todos os defeitos e diferenças, a vitória espiritual sobre as hostes do mal.
Muitas vezes somos chamados para resistir dentro de nossas próprias igrejas. Para sermos o sal que faz a diferença, limpa e conserva o ambiente.
Em países de maioria muçulmana é comum vemos a igreja local se desfazer por causa da perseguição. Mas existem aqueles que entendem a necessidade de permanecer onde estão para ser luz do mundo e sal da terra.


Tsuli Narimatsu
Portas Abertas Brasil

quarta-feira, 1 de junho de 2011

O Tempo


A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas!
Quando de vê, já é sexta-feira!
Quando se vê, já é natal...
Quando se vê, já terminou o ano...
Quando se vê perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê passaram 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado...
Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas...
Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo...
E tem mais: não deixe de fazer algo de que gosta devido à falta de tempo.
Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz.
A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará.

terça-feira, 15 de março de 2011

Conselhos de um velho apaixonado - Carlos Drumond

Quando encontrar alguém e esse alguém fizer seu coração parar de funcionar por alguns segundos, preste atenção: pode ser a pessoa mais importante da sua vida.
Se os olhares se cruzarem e, neste momento, houver o mesmo brilho intenso entre eles, fique alerta: pode ser a pessoa que você está esperando desde o dia em que nasceu.

Se o toque dos lábios for intenso, se o beijo for apaixonante, e os olhos se encherem d'água neste momento, perceba: existe algo mágico entre vocês.

Se o 1º e o último pensamento do seu dia for essa pessoa, se a vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração, agradeça: Algo do céu te mandou um presente divino : O AMOR.

Se um dia tiverem que pedir perdão um ao outro por algum motivo e, em troca, receber um abraço, um sorriso, um afago nos cabelos e os gestos valerem mais que mil palavras, entregue-se: vocês foram feitos um pro outro.

Se por algum motivo você estiver triste, se a vida te deu uma rasteira e a outra pessoa sofrer o seu sofrimento, chorar as suas lágrimas e enxugá-las com ternura, que coisa maravilhosa: você poderá contar com ela em qualquer momento de sua vida.

Se você conseguir, em pensamento, sentir o cheiro da pessoa como se ela estivesse ali do seu lado...

Se você achar a pessoa maravilhosamente linda, mesmo ela estando de pijamas velhos, chinelos de dedo e cabelos emaranhados...

Se você não consegue trabalhar direito o dia todo, ansioso pelo encontro que está marcado para a noite...

Se você não consegue imaginar, de maneira nenhuma, um futuro sem a pessoa ao seu lado...

Se você tiver a certeza que vai ver a outra envelhecendo e, mesmo assim, tiver a convicção que vai continuar sendo louco por ela...

Se você preferir fechar os olhos, antes de ver a outra partindo: é o amor que chegou na sua ida.
Muitas pessoas apaixonam-se muitas vezes na vida, mas poucas amam ou encontram um amor verdadeiro.

Às vezes encontram e, por não prestarem atenção nesses sinais, deixam o amor passar, sem deixá-lo acontecer verdadeiramente. É o livre-arbítrio.

Por isso, preste atenção nos sinais.


Não deixe que as loucuras do dia-a-dia o deixem cego para a melhor coisa da vida: o AMOR !!!


Ame muito.....muitíssimo...



quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Dica Musical - momento soul

Essa música me fez refletir sobre a nossa vida. Ás vezes fixamos nosso querer tanto em uma coisa e não enxergamos que aquilo não é o melhor pra nós, apenas queremos sem medir as consequências. Então medite na letra dessa música e perceba que mesmo que você não tenha conseguido o que queria algo melhor aconteceu no lugar limpe sua visão e comtemple a obra de Deus.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Relato de um menino sobre o ataque às igrejas em Bagdá

IRAQUE (17º) - No dia 10 de dezembro, 40 dias depois do ataque às igrejas de Bagdá, Gary Foster, um colaborador da Portas Abertas Internacional, conversou com uma testemunha e relata a história de seu filho.

O pai do menino foi um dos primeiros a chegar à igreja em Bagdá, poucas horas depois que os 65 cadáveres foram removidos e que os sobreviventes foram transportados para dois hospitais da cidade. Entre os 65 mortos estavam todas as crianças presentes na igreja na hora do atentado.

O pai decidira não ir à missa naquela noite, mas ouviu da rua o barulho dos tiros, das granadas, e da explosão das bombas suicidas. Ele correu para casa para se certificar que sua família estava viva e, então, se dirigiu aos hospitais para visitar os sobreviventes e suas famílias. A conversa foi com este  pai 40 dias após a tragédia. Este relato foi baseado no que ele contou sobre o caso e nas reações e orações de seu filho.

“Eu sempre me imagino tendo uma capa especial como aquela que o SuperHomem usa, quando eu entro e saio correndo do quarto de minha irmã. A capa é dourada com uma faixa vermelha, assim como as cortinas de nossa sala de jantar. Eu me vejo como um protetor do reino e vejo minha irmã como a princesa a ser protegida – está certo...isso quando ela não me enche a paciência.

Eu costumava brincar na rua, mas quando a guerra começou, nós passamos a brincar somente dentro de casa.  Quando saímos de casa nós vamos sempre de carro e eu ajudo ao meu pai a olhar debaixo do carro para ver se tem bomba.

Nós sempre verificamos as coisas em volta de nossa casa e o nervosismo sempre toma conta quando viajamos até mesmo para distâncias curtas fora da cidade.
Nós até deixamos algumas malas prontas em caso de termos que abandonar a casa no meio da noite. Minha preocupação é que meus brinquedos caibam nessas malas.
Nós íamos bastante à igreja, mas paramos depois do que aconteceu. Uma coisa muito ruim aconteceu com a nossa igreja e eu perdi muitos amigos. Eles foram mortos.
Eu não vi o que aconteceu, mas ouço muitas histórias a respeito. Eu imagino que muitas coisas jamais serão as mesmas e que eu preciso fazer o meu papel de protetor e guardião do reino.
O que isto significou para nós? Afinal, nós estamos seguros ou também seremos mortos? E se o meu pai algum dia não voltar mais para casa? Quem vai tomar conta de minha mãe e de minha irmã? Terá que ser eu. Se eu tiver a capa especial, eu posso protegê-las.

Na noite anterior, meus pais oraram com minha irmã quando ela foi dormir. Na verdade, ela sempre tem muita coisa que falar com Deus. Eu já não tenho tanta coisa para orar; eu apenas penso, e costumo orar a Deus só com a mente. Eu posso ouvir a minha irmã agora. Ela está orando: ‘Deus,  ajude para que eles não bombardeiem outra igreja e para que não venham carros-bomba. Chega de derramamento de sangue.’
Ela tem estado com muito medo desde que aquela coisa horrível aconteceu com a nossa igreja, e mamãe vai até a sua cama à noite, orar para que minha irmã não tenha pesadelos.  Ela não costumava ter essas coisas. Eu também oro por ela.
Então, papai vem orar comigo. Ele me diz que Jesus cuidará de nós e que eu não devo me preocupar. Ele me diz que Deus ama até mesmo as pessoas que nos ferem. Ele me diz que Jesus é amor – e que ele é a minha verdadeira capa de proteção.”


Tradução: Joel Macedo


Fonte:http://www.portasabertas.org.br/noticias/noticia.asp?ID=6752


sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

O pássaro e a janela.

Ontem acordei e decidi por em prática a leitura da palavra, pois sempre que eu havia tentado antes conseguia apenas por 1 ou 2 dias seguidos e olhe lá. Isso, definitivamente, não é uma das coisas das quais eu me orgulhe. Infelizmente sei que não estou só. 
As desculpas são inúmeras: cansaço do trabalho ou do colégio; preguiça de acordar cedo; somente a preguiça por si só. Bem como eu disse as desculpas são inúmeras e não é sobre elas que eu pretendo falar. Enquanto eu lia a Bíblia exatamente nesse versículo:

...não vos lembrei das coisas passadas, nem considereis as antigas. Eis que farei uma coisa nova, e agora sairá à luz; porventura não a sabereis? Eis que porei um caminho no deserto, e rios no ermo.
Isaías 43:18-19

Um pássaro entrou pela minha janela, na verdade não faço idéia de como ele conseguiu esta proeza, pois a janela tem grades. Bem, o fato é que me assustei bastante, mas sem escândalo porque minha amiga dormia no quarto ao lado. Quando percebi que era um pássaro parei para observá-lo e percebi a sua aflição em estar ali na minha sala de estar. 
Eu não sabia o que fazer eu só queria que ele saísse dali. Então peguei “a arma” de toda dona de casa: “a vassoura”. Bem só consegui que ele voasse até a porta que estava trancada, mas esse vôo não foi inútil, pois ao chegar à porta ele pode ver a janela e voou em sua direção. Só que ele parou na parte de cima que estava fechada e eu me peguei conversando com aquele passarinho. 
Minha aflição já não era só que ele saísse da minha sala era que ele conseguisse encontrar o caminho. Primeiro eu havia pensado que o passarinho era intento do inimigo pra tirar minha concentração da leitura da palavra, mas analisando aquela situação eu percebi como o pássaro era parecido conosco. Queremos alcançar um objetivo e achamos que o nosso caminho é o certo. Assim era o passarinho dando de bico no vidro várias vezes até perceber que aquela atitude não resolveria o seu problema. 
Parei para analisar: acho que é assim com as pessoas também, porque quando queremos algo e vamos por aquele caminho, nos achando “donos da verdade” e quebramos a cara várias e varias vezes. E Deus está ali nos observando com sua visão ampla da situação pode ver a janela enorme do nosso lado e até tenta nos ajudar. Enquanto nós cegos de autosuficiência concentramos nossas forças em planos inúteis. 
Não contente, eu abri uma portinha da porta onde ficam grades, mas ele não acertou o caminho, nem sequer tentou. Quando finalmente ele se deu conta que não conseguiria sair por ali, pousou no chão e parou pra observar o ambiente foi quando eu abri toda a porta e ele voou o passarinho foi embora, mas a reflexão sobre a situação ficou em minha mente. 

E nesse momento é quando Deus “...abre, e ninguém fecha;” (Ap. 3 : 7).

Para o passarinho era impossível abrir aquela porta e sua visão era limitada para visualizar as saídas disponíveis. Então trago esta reflexão para que possamos pedir em nossas orações que Deus amplie nossa visão para que possamos enxergar o caminho que devemos seguir, o caminho que leva à Salvação: JESUS CRISTO, o Senhor!

"Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim." (João 14 : 6)